Ciências Antigas Tarot

O Mago. Tensão. Contraste. Equilíbrio.

Anabela Melão
Escrito por Anabela Melão

Olho-te e só vejo tensão e contraste. Procuro-te então. Percorro o teu “eu” em busca do equilibrio.

Vestes de vermelho. E vejo a força, a vitória, a ousadia, a alteza e a valentia.

Vestes de branco. E vejo a pureza, a inocência, a candura e a humildade.

Onde foi que já vi, outrora, uma corda vermelha com 12 nós em forma de um 8 deitado, os “nós do amor”!? Qual cobra/corda que te cinge e morde a cintura, circunscrevendo-te as emoções! Qual nó que te encima a cabeça!


PUBLICIDADE


Olho-te e vejo só tensão e contraste. Procuro-te então. Percorro o teu “eu” em busca de equilibrio.

Lírios brancos. Vivos são a autenticidade, a meninice do teu espírito. Murchos são a morte. O amor sublimado tornam-nos a Flor da Glória. A marca da verdade e da franqueza.

Lembram-me que, apesar das adversidades, consigo encontrar a paz interior, o que há de melhor em mim. São a tua Flor-de-Lis. O teu poder, a tua soberania, o teu nome, a tual lealdade. O masculino. O mundo dos espiritos. A procura do conhecimento.

“Olhai os lirios do campo; eles não trabalham, nem tecem; no entanto, eu vos digo: mesmo Salomão, em toda a sua glória, não se vestiu como um deles.” (Mat. 24-34)

Também o pentagrama tem as 6 pétalas do lirio branco, olhando o povo de Israel, o do Cântico dos Cãnticos.

E, de repente, vejo a rosa.

Rosa e lírio não são ambos a Flor-de-Lotus? A Flor Perfeita?

Olho-os e vejo tensão e contraste.

Rosas vermelhas. São a tua Paixão pela Vida! O Feminino. O teu nascimento. A tua materialização.

Para se chegar à rosa há que colher os espinhos (guardiões): é o caminho humano. O Caminho do Auto-aperfeiçoamento.

Lutero usava no seu selo uma rosa e o lema: O coração está sempre em rosas quando etá sob a cruz.”

A rosa está, sempre, continuamente, em tensão. É o segredo guardado, fecha-se sob o seu coração, e quando abre a corola, morre. Tal como os lírios.

Não pintavam os 3 jardineiros d’Alice no País das Maravilhas as rosas brancas de vermelho? É que, ao entrar no Jardim/Templo, exigia-se que se transformassem!

E, no entanto, agora percorrido, tu, ó Mago, denotas o equilibrio entre a tensão e o contraste.

Há um equilibrio entre o vermelho e o branco que tu vestes.

Há um equilibrio entre os lirios brancos e as rosas vermelhas.

Tal como a letra ALEPH, tu és o equilibrio perfeito.

Tal como a tua mesa tem 3 pés, em equilibrio perfeito (material, espiritual, intelectual/principio, meio, fim/memória, entendimento, vontade/corpo, alma, espirito/passado, presente, futuro/animal, vegetal, mineral)!

Esquecia-me eu, ó Mago, que tu, Mercúrio, me dizes: Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o Caminho!

Nessa tensão, nesse contraste e nesse equilibrio, que me segreda ao ouvido: “A cada um basta o seu cuidado”! (Mat. 24.34)

Paz e Lux

Anabela Melão

Sobre o autor

Anabela Melão

Anabela Melão

Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa. Assessora do Secretário de Estado da Administração Interna, Luís Madureira (XI Governo Constitucional), de 1989 a 1990. Inspectora de finanças principal da Inspecção-Geral de Finanças, de 1990 a 2004. Adjunta do Secretário-Geral da Assembleia da República, 1993-1994. Adjunta e Chefe de Gabinete do Secretário-Geral da Assembleia da República, 1994-1997. Vogal do Conselho de Fiscalização do Ministério do Trabalho e da Segurança Social, 2000-2002. Sub-Inspectora Geral da Inspecção-Geral das Obras Públicas, Transportes e Comunicações - Auditora do Tribunal de Contas, 2002-2009. Directora Executiva da REGIS LABORE, International Consulting, Lda. Percurso Maçónico: Iniciada em 1996, na Grande Loja Feminina de Portugal Venerável Mestre da Respeitável Loja Eclipse (Primeira Loja Livre e Soberana em Portugal)

Deixe um comentário