Saúde

Reflexologia Facial Holística

Elisabeth Marques
Escrito por Elisabeth Marques

A Natureza colocou em nós, todos os recursos de cura.
E deu-nos alimentos perfeitos para que sejamos saudáveis e felizes.
Viver de acordo com isto, será viver de acordo com a nossa natureza.
Vivendo plenamente a Oferta que é a Vida.

Recursos de Cura

A reflexologia é a medicina que reconhece os recursos internos disponíveis no nosso corpo. Prontos a serem usados.  É uma medicina ancestral, praticada desde tempos imemoriais. Como  diziam os Antigos e aplicando à reflexologia:

A Reflexologia é um presente dos Deuses para os Humanos!

Existem vários tipos de reflexologia: no pé e na mão,  também na face, orelhas e crâneo; e técnicas muito diferenciadas de fazer reflexologia. Vamos para já abordar a reflexologia facial: a arte de nos manter em saúde através de pressão, segundo técnicas específicas em determinadas zonas do rosto. Redescoberta no início do séc. passado, é nos dias de hoje uma medicina integrativa, em pleno desenvolvimento!


PUBLICIDADE


A reflexologia, mantém-nos saudáveis! Recupera-nos para a Vida, desenvolvendo em nós a capacidade de cura. E essa capacidade de cura, nenhum outro método, poderá alguma vez superar. Porque só nos faz bem. Sem nunca nos prejudicar.

Medicina Milenar! A origem da Reflexologia, perde-se nos inícios do tempo.

Há indícios de que já era praticada por Povos tão antigos como os Incas, civilização peruana, possivelmente há mais de 12.000 anos. Terão sido estes povos a transmiti-la aos Índios norte-americanos, que ainda nos nossos dias a praticam.

Sinais que vêm da China e da Índia indicam que, já por lá se praticava também desde há 5.000 anos.

Um pictograma egípcio, encontrado no túmulo de Ankmahor, médico da época, em Saqqor, datado de 2330 aC, sugere igualmente, que por essa época, a Reflexologia teria o seu lugar destacado na medicina desse Povo.

reflexologia

Assim, tanto quanto se sabe, as grandes civilizações da Antiguidade praticavam reflexologia!

Depois, perdem-se então nas brumas do tempo,a sua história e a sua evolução. Por um longo período da História, a reflexologia como que se eclipsou.

Entretanto reaparecem notícias na Europa. Mais precisamente em Florença., a partir do séc. XVI. Há indícios de que Benvenuto Cellini, o célebre escultor florentino, autor do não menos célebre “Perseu” praticaria alguma forma de reflexologia.

Relata a História, que Cellini, pressionava os pés e as mãos para aliviar as dores do corpo… e foi também durante esse mesmo século, que vários livros foram escritos sobre estas técnicas. Os autores baseavam os seus conhecimentos exactamente nos mesmos princípios que ainda hoje sustentam a Reflexologia actual: A terapia das Zonas.

Também o Presidente norte-americano, James Abram Garfield, aliviava as suas dores e fazia a sua recuperação, em consequência do atentado de que foi vítima, com esta medicina. Apesar disso, o Presidente acabaria por falecer, meses mais tarde.

No sec. XIX, Sir Henri Head descobriu que a  determinadas áreas de hiperalgia, (zonas doridas) correspondiam determinados orgãos doentes.

O fisiólogo e cientista russo Ivan Pavlov, estudou também o condicionamento reflexo e as suas interacções. Em boa verdade poder-se-á verificar que tudo é reflexo. A lei permanente da acção, reacção. Também a doença é reflexo de algo. Também a saúde o será.

Recurso Natural!

Sabemos que os nossos aparelhos digestivo, respiratório, circulatório e os restantes, funcionam de uma forma inultrapassável. Ninguem admitiria, que em boa saúde estes sistemas alguma vez pudessem ser substituidos, por outros artificiais que desempenhariam as respectivas funções!

Mas a alienação progressiva da nossa própria natureza, levou-nos a afastarmo-nos cada vez mais das medicinas naturais. Esquecemos ou ignoramos, que também, tal como aqueles outros sistemas que são bem conhecidos, também um sistema de cura perfeitissimo, autónomo e eficaz de uma forma singular, existe em nós, à semelhança dos outros! Ora a reflexologia, mais não é que o aproveitamento desse recurso.

Sabemos vagamente algo acerca do nosso sistema imunitário. Mas desconhecemos por completo estas funções de cura que o nosso corpo desempenharia de modo perfeito e único, sem nos fazer mal, se acaso lhe dessemos essa oportunidade.

Á disposição de todos nós, estão estas técnicas da reflexologia, que desencandeiam processos complexos e muito capazes,  sem terríveis efeitos colaterais que nos tiram seguramente qualidade de vida e de conforto e que nos abreviam a vida.

Mas certamente que em momentos de crise, de acidentes e etc. deveremos o mais rápidamente possível recorrer à medicina oficial. Porque em processos de crise ou de traumatologia, esta é de uma eficácia que, tanto quanto eu conheça, na actualidade, só ela tem! No processo corrente de vida, na prevenção, quando aparecem pequenos problemas que rápidamente e sem efeitos colaterais podem ser resolvidos, então, nessas situações a reflexologia é única. E o importante efectivamente é viver com saúde. E em manutenção de saúde, a reflexologia é realmente de excelência. Mas também os seus efeitos de recuperação em casos de doença já instalada, são já bem conhecidos. Com resultados, onde por vezes, já outros métodos pouco conseguem. Fazendo reflexologia e sob observação médica, poderemos viver então uma vida bem saudável e tranquila.

Na China antiga, no tempo dos imperadores, a missão do médico não era de curar o Imperador, mas sim, a de mantê-lo de boa saúde!

Assim se esperaria nos dias de hoje. O que não está a acontecer.Vivemos uma época onde o aumento do consumo de medicamentos está num contínuo crescendo! As previsões dos médicos são de que a taxa de doenças, tais como a diabetes, cancro, doenças cardiovasculares, doenças do foro mental: depressões, Alzheimer, Parkinson e outras estão a aumentar. Parece que vivemos uma época onde o controlo sobre o aumento da doença não existe. Uma situação que atinge tudo e todos. Novos e velhos! Vinda não se sabe de onde. Ou sabe?. E se a àrea da saúde está tão desenvolvida, porque é que os resultados esperados, a saúde de todos, não acontece? Com as taxas das várias doenças a disparar?

Também o medo faz mal. As pessoas têm medo! Medo da doença, como se fosse algo inevitável Acontece que não é! Na maioria dos casos. A doença ou a saúde, resulta de um processo. Do processo que desenvolvemos ao longo da nossa vida. Das nossas escolhas!

O medo ou qualquer outra emoção negativa, acidifica o corpo. Ingerir certos produtos, os pseudo-alimentos que constituem a alimentação moderna gera acidez. E esse corpo ácido, segundo a ciência, é o terreno ideal para o desenvolvimento das doenças. E desde a mais ligeira às mais graves: cancro, fibromialgias, doenças cardio-vasculares, mas também enxaqueca, ansiedade e tantas outras que retiram a qualidade de vida que por direito e por natureza deveríamos e poderíamos ter.

Talvez seja altura de pararmos e perguntar se não há outros caminhos a percorrer? Outras formas de vida? Porque não é só aos outros que acontece! Um dia, pelas previsões, também muitos de nós seremos assim. Fechados em lares e frequentemente senis… Talvez não seja políticamente correto falar nisto. Ninguém quer olhar! Mas porque silênciar a realidade? Não será melhor enfrentar e fazer escolhas?

No ano de 2010, em Portugal, o consumo de ansiolíticos era o triplo do dos restantes países da UE. Ora daí para cá o consumo desses medicamentos continuou a aumentar!!??

Talvez seja a altura de olhar para a reflexologia como uma alternativa válida, que sem fazer mal, ajuda sempre. E ajuda também a sermos mais felizes, pois a reflexologia tem um efeito muito benéfico no nosso sistema nervoso, aliás comprovado já por numerosos estudos.. Lembro de uma senhora que comentava: “Dantes estava sempre ansiosa. Agora consigo relaxar e fazer as coisas só quando posso fazê-las! Até já tenho mais paciência para o meu marido…”

Porque a reflexologia faz uso da nossa própria capacidade de cura… Estudada e comprovada por vários médicos. Por estudos clínicos que atestam sempre bons resultados no tratamento das várias doenças e pelas pessoas que têm o privilégio de conhecer e de usar.

História recente

Eunice InghamÉ já no princípio do sec.XX, através do Dr. William Fitzgerald, que a Reflexologia começa a ser estudada e sistematizada de forma científica.

William Fitzgerald, médico, especialista em otorrinolaringologia, que exerceu medicina em Viena, Paris e Londres, interessou-se vivamente por estas técnicas, apercebendo-se que várias zonas distantes, reagiam de forma positiva a certas pressões no pé e na mão. Estudou. Comprovou. E teve que lutar contra o cepticismo dos colegas. Estabeleceu a teoria das zonas, documentando as suas descobertas. Também um dos seus alunos se interessou por esta abordagem de técnicas de saúde, o Dr. Joseph Riley. Ele e a sua mulher, médica também, começaram a tratar doentes no seu próprio consultório, comprovando a extraordinária eficácia da reflexologia (na época eles eram pioneiros). Com estes médicos trabalhava Eunice Ingham, fisioterapeuta e assistente dos dois médicos. Estas técnicas despertaram em Eunice uma admiração e fé profundas. Também ela começou a estudar as relações entre pressão no pé e as reações do corpo em zonas afastadas. Maravilhou-se com os resultados. Eunice deitou-se ao trabalho: elevar bem alto esta técnica, com tantos beneficios para a saúde, sem prejudicar. Fez desta medicina o seu objectivo sua vida. Estudava e testava exautivamente estas técnicas. Tratou milhares de pessoas em Inglaterra. Dedicou-se inteiramente. Elaborou mapas de reflexologia que continuam actuais.

Escreveu dois livros, mas o “Stories the feet can tell”, continua a ser considerado a Bíblia da reflexologia. Ensinou também milhares de pessoas por todo o mundo.

(continua…)

Elisabeth Marques

 

Sobre o autor

Elisabeth Marques

Elisabeth Marques

Elisabeth Marques desde muito cedo que se interessou pela área da saúde. Trabalhou primeiro na área do ensino - matemática e física - mas depressa se apercebeu que não seria essa a sua opção de vida. Assim, para além do muito estudo que dedicou e dedica à área da alimentação, base da saúde, foi na àrea da medicina integrativa, que encontrou aquilo que mais gosta de fazer. Muitos cursos, muitos Mestres. Hoje dedica-se sobretudo à área da Reflexologia Holística, método do Prof Nhuan le Quang, único no mundo, porque é aí que encontra sempre as respostas para os mais variados problemas de saúde, tanto do foro físico como do emocional.

2 Comentários

Deixe um comentário